Hoffman, Jussara – Avaliar: Respeitar primeiro educar depois parte 3

Síntese- Avaliar: Respeitar primeiro educar depois – Jussara Hoffman – parte 3

Capítulo 12 – Mãe passa pela minha escola?- A melhor escola paara cada criança ou jovem é aquela onde revelam estar felizes, tornam-se confiantes em sua capacidade de aprender.

Pais educam, formam hábitos e valores. Escolas ensinama aprender e a aprender a conviver socialmente. Boas escolas são espaços sociais de convivência, de brincadeira, onde esducadores  estão disponíveis para descobrirem o melhor.

Capítulo 13- Relatório de Avaliação 1 :Compreender e compartilhar histórias.- Na perspectiva mediadora da avaliação acompanha-se para “entender, observar a evolução, refazer o processo junto com o aluno propor-lhe novos desafios(mediação)” A avaliação mediadora estabelece um caráter multidimensional e subjetivo. É a memória construída do professor, ocorre um diálogo efetivo entre professores alunos, família.

Capítulo 14 – Relatório de avaliação 2: do agir ao pensar na formação docente. O exercício de observar, anotar e refletir ao longo do cotidiano escolar transforma o fazer pedagógico do professor e de toda a escola.

Capítulo 15 – Avaliação mediadora é formativa ? – A perpectiva mediadora tem por aprofundamento o princípio da avaliação contínua, formativa. O papel mediador do professor é essencial a uma prática não classificatória. Mediação é interpretar, diálogo, interlocutor, para Piaget, o mediador é aquele que promove desequilíbrio, conflito, reflexão e resolução de problemas. Vygotsky, o mediador é aquele que leva em conta as potencialidades, novas situações e superações.

Capítulo 16 – Educar primeiro para não aprisionar depois! – La Taille diz que a escola não e a única instituição social responsável pela educação moral de crianças e jovens porque a família tem muito peso, mas que por isso os valores presentes podem atrapalhar muito a vida dessa crianças.

Capítulo 17 – Infância atropelada -Mais tempo para alfabetizar não significa alfabetizar melhor. Uma alfabetização plena extrapola os limites da leitura e da escrita.

Capítulo 18 – Dizer não ou educar para o não? – É preciso estabelecer a diferença entre exercer a autoridade na formação de limites e ser autoritário, entre “dizer não” e “educar para o não”.

Capítulo 19 – Leitura e avaliação: nas entrelinhas dos textos e contextos – Alunos que não lêem ou escrevem são problemas de todos que se dizem professores. Avaliar é tão mágico quanto ler. Ao avaliar nos transformamos em leitores de sujeitos, de sues textos e contextos ( contunua).

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 34 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: